quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O ARREBATAMENTO DA IGREJA

NARRADOR: A segunda vinda de Jesus Cristo será um dos maiores acontecimentos da historia da humanidade.
As profecias das Sagradas Escrituras estão se cumprindo rapidamente e tudo indica que nós estamos vivendo nos momentos finais da história deste mundo. E como cristãos, devemos estar sempre preparados, porque Jesus vai voltar a qualquer momento, e nós nem sabemos nem o dia nem a hora. Tudo será muito rápido, mas eu gostaria de lhe fazer uma pergunta: Como está a sua vida? O que você tem feito para Jesus? E se Jesus voltasse agora, você subiria?

OBS: De repente as luzes se apagam e ouve-se um som de uma trombeta. Após o toque entra um jovem

NARRADOR: As manchetes dos jornais vão mesmo publicar, em letras garrafais, que desapareceu da terra um povo diferente, ninguém foi encontrado. Toda imprensa vai dizer: não se sabe pra onde, como nem porque, onde está tanta gente? Vão procurar, porém, ninguém vai ser achado. Casas faltando parentes, congestionamentos, carros sem ninguém, fábricas paradas e lojas fechadas sem ser feriado. Só quem não conhece a Bíblia, vai perder o seu tempo procurando em vão, enquanto isso o povo desaparecido já está em Sião.

OBS: Sai o narrador e entra Eva, depois entra Ruth

RUTH: Menina! Que cara é essa? Quem te mordeu?

EVA: Você não está sabendo, não é?

RUTH: De que?

EVA: De um grande desaparecimento de pessoas...

RUTH: De pessoas?

EVA: Sim! E não foi só aqui no Brasil, mas em todo o mundo.

RUTH: Meu Deus!

EVA: E não só foi isso. Todos os meios de comunicação estão dizendo que pode ser um possível arrebatamento. Ruth, será que Jesus voltou?

RUTH: Não, eu acho que não, pois a Bíblia diz que haverá um grande despertamento.

OBS: Entra Pedro com um som do lado pela porta lateral maior...

PEDRO: Oi meninas! Que cara é essa? Quem morreu?

EVA: Oi Pedro! Eu estou falando sobre um grande desaparecimento.

PEDRO: Desaparecimento? Que conversa...

RUTH: Eu disse a ela. Só ela ficou sabendo disso!

PEDRO: Pois é!

OBS: De repente entra o noticiário do rádio:

Notícias
Acaba de chegar mais uma informação sobre o desaparecimento de muitas pessoas ocorrido hoje no mundo todo. As autoridades afirmam que não há um número oficial sobre a quantidade de desaparecidos, mas estima-se que sejam milhões entre homens, mulheres e crianças. A presidenta da República fez um comunicado oficial agora a pouco dizendo que o Governo Federal está tomando todas as providências para esclarecer este fato à população brasileira. Ela afirmou ainda, que isso não é um caso isolado. Segundo a presidenta, há relatos de desaparecimento em todos os países, no entanto, nos países onde a religião predominante é o cristianismo, há uma grande possibilidade de que o número de desaparecidos seja bem maior.
A qualquer momento, voltaremos com mais informações.

OBS: Pedro larga o som e entra em desespero

PEDRO: Não pode ser! Não! Não!

RUTH: Pedro, o que foi?

PEDRO: Jesus voltou! Você não entendeu? E eu achando que o meu pai e minha mãe tinham me deixado dormir mais um pouco. E foram para a escola dominical com os meus irmãos. E não percebi, pois todos os domingos eles me forçavam a ir para a escola dominical. E logo hoje, pensei que eles tinham me dado uma folga. Ai meu Deus! E agora?

OBS: Enquanto Pedro fala, Ruth tenta acalmá-lo, mas ele não a escuta e sai gritando. Eva começa a chorar.


EVA: Meu Deus! Meu Deus!

RUTH: Eva tenha calma!

EVA: Ruth, Jesus voltou, será que você não entendeu? Eu sei como eu levava a minha vida. Meu Deus! Jesus! Sai Ruth, por favor (chorando). Eu sei como eu estava na presença do Senhor. Quando eu ia para o culto de doutrina, eu não ia para aprender e sim para passar o tempo. Andava muito no circulo de oração, mas nunca para orar. Nos cultos de missões eu não orava pelos missionários e nem contribuía, não tinha compromisso com Deus. Me preocupei tanto com a vida dos outros que esqueci a minha. Jesus, e agora? Eu nunca tive uma experiência contigo. Jesus e agora? Não vou suportar.

OBS: Sai correndo pela lateral maior.

RUTH: Não! Pode ser um engano! Já sei vou para a igreja, essa hora ainda está tendo a escola dominical. Vou lá falar com o Pastor.

OBS: Sai Ruth e entra o narrador.

NARRADOR: Muitos lares vão chorar lágrimas de sangue e vão se perguntar: Porque somente a gente, Se a casa da frente vazia ficou? Sem querer acreditar correrão para o templo e só vão encontrar meia dúzia de crentes, céticos, loucos, chorando sua grande dor. Só aí vão se dá conta do arrebatamento, um fato tão real, vão desejar a morte, di sul para o norte e a morte estará presa. Vão gritar para os montes em total desespero: “Caiam sobre nós”, mas a igreja querida estará na glória descansando em paz.

OBS: Depois que o narrador sair, entra algumas pessoas na igreja e ficam em lugares se lamentando, e entra Ruth assustada.

RUTH: O que está acontecendo? É verdade?

IRMÂO: Sim! É verdade sim! Aconteceu e nós não estávamos esperando.

OBS: Algumas pessoas vão ficar no meio da igreja entre o coral e a mocidade agachados, outros andando de um lado para o outro chorando.

RUTH: Não!

IRMÃO: Meu Deus!

RUTH: Ahh! Deus tenha misericórdia de mim. Não vou agüentar!

JOVEM: Ruth, não adianta mais chorar. Agora é só esperar o que vem.

RUTH: Jesus, tem misericórdia de mim, eu sei que não fui fiel a Ti, mas tenha compaixão de minha vida.

OBS: Ruth sai chorando e fica alguns com expressão de decepção e entra o narrador.

NARRADOR: Querida igreja, esta apresentação mostra uma grande realidade do que vai acontecer. Como está a tua vida? Como você está diante de Deus? A porta da graça, nesta apresentação, já se fechou, mas enquanto há tempo, medite nesta palavra:

“Eis que cedo venho, guarda o que tens para que ninguém tome a tua coroa!”

“Eis que cedo venho, e comigo está o meu galardão, para dar a cada um, segundo sua obras”

“Eis que cedo venho, guarda o que tens para que ninguém tome a tua coroa”

“Eis que breve virei, vigiai e orai, para não cairdes em tentação”

“Eis que cedo vem, vigiai e orai, para que quando Ele vier, não vos encontre desapercebidos”

“Eis que o noivo vem, preparai as vossas lâmpadas, para não faltar o azeite, como aconteceu com as cinco virgens loucas”

“Eis que cedo vem, levantai os vossos olhos para cima, porque vossa redenção se aproxima”

“Eis que breve vem, com grande poder e glória. E depois, diante do todo poderoso, povos e mais povos, tribos e línguas confessarão:

“SÓ TU ÉS O SENHOR, SÓ TU ÉS ETERNO, SEM PRINCIPIO E SEM FIM...”

“TODOS TE GLORIFICARÃO, TE EXALTARÃO! ANSIOSOS ESPERAMOS TUA VINDA, QUERIDO SALVADOR”


Autoria - Mariano Siqueira


Postado em 03 de novembro de 2011

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

MISSÕES EM CUBA

Assassinato do Pastor Hernandes e sua Família


Representação da fidelidade de um pastor colocada à prova no período da tomada do poder realizada por Fidel Castro em Cuba. O pastor perde toda a família, mas não nega a fé em Jesus Cristo. Essa peça mexe com a consciência dos missionários que podem extrair dessa mensagem encenada um estímulo para dar prosseguimento à obra feita por esse corajoso e íntegro personagem.
Personagens :
2 Soldados; 1 General; 1 Pastor; Mulher do Pastor; 2 filhas do Pastor; 1 Narrador;


Narrador – Cuba, um povo clamando por liberdade. Este é o mais novo desafio dos gideões missionários da última hora. Cuba. É o que DEUS tem te dado para desbravar neste ano. Cuba, a maior ilha do continente americano, com a mesma população do peru (11 milhões de habitantes), vive um verdadeiro pesadelo de pobreza e de miséria. O comunismo atormenta a população deste País, obrigando seus habitantes a trabalhar para o governo por salário de U$ 2,50 (dois dólares e cinqüenta centavos).
Muitas vezes há dinheiro, mas não há um pedaço de carne no mercado para se comprar.
Cuba já foi palco de mártires do cristianismo. Em 1959, o guerrilheiro Fidel Castro toma o poder do ditador Fulgêncio Batista e assume a presidência em Havana, capital e lá mandar matar todos os pastores, evangelistas e predicadores da palavra de DEUS. Entre eles estava o servo fiel a DEUS chamado Pastor Hernandes. Hernandes foi preso também. Tomaram Hernandes, colocaram-no em uma prisão e trouxeram Fidel à presença de Hernandes. Fidel disse : Negue esse Jesus ou morre você, tuas duas filhas e tua mulher, homem.
Mas Hernandes tinha como meta de seguir a Jesus até o fim. Ele pretendia ser fiel até a morte e não negou a Jesus.
Era de manhã, o sol despontava atrás das montanhas.
E a prisão vivia um silêncio mortal. De repente o silêncio era quebrado pelos fortes pisados , que traziam esposa de Hernandes e suas duas filhas.
Era fúria, os soldados comunitantes estavam prontos para mais uma execução. Hernandes é trazido pelo general comunista, e é ditada sua última chance de vida.
No momento em que os soldados entram com as filhas nos braços e a mulher de Hernandes, as filhas são colocadas junto com a mãe e as filhas abraçam a mãe. A mãe, desesperada, chora pedindo misericórdia ao Senhor.
E os soldados gritam pedindo que se calem.
Em seguida entra o General com o Pastor e joga-o no chão.
O soldado coloca as vendas nos olhos das filhas e da esposa..
Uma das filhas grita :

Filha : Mamachita, Papachito, Mamachita, Papachito!

Obs.: Em seguida o soldado pega a criança e a joga para o lado da mãe.

General : Você é um pregador de mentiras! Pregador de mentiras, negue seu DEUS, ou você sua mulher e suas filhas morrem, negue esse teu DEUS ou elas morrem, negue!

Obs.: O general estava com a Bíblia nas mãos.

Pastor Hernandes : Não, eu não nego, não...

General : A sua filha morre! Tragam-na.

Obs.: Nesse momento, o soldado coloca a filha no centro pronto para execução.

Esposa do Pastor – (grita e chora) Minha filha, nãooo, misericórdia JESUS, nãoooo

Pastor Hernandes – (grita) Nãooooooo, minha filha, nãoo.

Obs.: O Pastor começa a cantar um refrão de um hino cristão.

Pastor Hernandes: “ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, DESTE CAMINHO EU NÃO DESISTO”.

Obs.: Na mesma hora que o pastor começa cantar o General prepara a execução dizendo:

General – Preparar, apontar, (grita) fogo!

Obs.: O soldado atira na filha.

General – (grita) Olhe a sua filha! Olhe!

Pastor Hernandes – (grita)Nãooooooo, minha filha, nãoo! Oh! Jesus!

General – Negue esse teu DEUS, ou sua outra filha morre! Negue esse teu DEUS! NEGUE!

Pastor Hernandes – Não, eu não nego, não...

General – A sua filha morre. Tragam-na!

Obs.: Nesse momento, o soldado coloca a segunda filha no centro pronto para execução.

Esposa do Pastor – (grita e chora) Minha filha, nãooo! Misericórdia JESUS, nãoooo!

Pastor Hernandes – (grita) Nãooooooo, minha filha, nãoo!

Obs.: O Pastor Hernandes volta a cantar o refrão do hino cristão.

Pastor Hernandes – “ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, DESTE CAMINHO EU NÃO DESISTO”.

Obs.: Na mesma hora que o pastor começa a cantar, o General prepara a execução dizendo:

General : Preparar, apontar, (grita) fogo!

Obs.: O soldado atira na filha.

Pastor Hernandes : (grita) Nãooooooo! Minha filha Nãooooooo!. Oh! Jesus, não!

Obs.: Nesta hora o soldado pega pelos braços da mulher e a leva ao centro.

General : Olhe suas filhas, OLHE! Negue esse teu DEUS, ou sua esposa morre! Negue esse teu DEUS! NEGUE, sua esposa vive, você e ela! NEGUE!

Esposa do Pastor – (grita e chora) Não negue a JESUS! Seja fiel até a morte! Não negue!

Pastor Hernandes – (grita) Nãooooooo, minha esposa não! JESUS, eu não vou agüentar! Nãoooo!

Obs.: O Pastor volta a cantar o refrão do hino cristão.

Pastor Hernandes – “ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, DESTE CAMINHO EU NÃO DESISTO”.

Obs.: Na mesma hora que o pastor começa cantar o General prepara a execução dizendo:

General – Preparar, apontar, (grita) fogo!

Obs.: O soldado atira na esposa.

Pastor Hernandes – (grita) Nãooooooo, minha esposa nãooooooo! Oh! Jesus, nãooo!

General : Olhe a tua família! OLHE!

Pastor Hernandes : Nãooooo! Oh! JESUS, nãooo!

General : Negue esse teu DEUS, ou você morre! Negue esse teu DEUS! NEGUE!

Obs.: Na mesma hora o soldado coloca a venda nos olhos do Pastor Hernandes.

Pastor Hernandes – (grita) Tire a minha venda.

Obs.: E o Pastor Hernandes tira dos olhos as vendas.

Pastor Hernandes – (canta) “ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, DESTE CAMINHO EU NÃO DESISTO”.
ESTOU SEGUINDO .....

Obs.: nesta hora o Pastor é executado pelos soldados.
Os soldados carregam os corpos e mostram ao público as filhas mortas.

Soldado: (pega a Bíblia e grita) É MENTIRA! MENTIRA! (joga a bíblia no chão).

General – (grita) Quantos de vocês querem morrer em Cuba?!

Narrador – Hernandes não morreu em vão, os missionáros vão invadir Cuba em nome de JESUS.
E se a morte vier diremos.
”ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, DESTE CAMINHO EU NÃO DESISTO.
ESTOU SEGUINDO A JESUS CRISTO, PARA TRÁS NÃO VOLTO, NÃO VOLTO MAIS”.
Pode vir as provas, pode vir as lutas, pode vir as dificuldades financeiras, mas o Dono do ouro e da prata nos levará a Cuba. Tu, missionários, vais chegar em nome do Senhor, por que esta chama não vai apagar de dentro de ti.
E se vier as provas, a meta do missionário é seguir sim, mas voltar, jamais.
E se levantar os inimigos, basta DEUS colocar por terra.
CUBA será de JESUS.

Obs.: Neste momento entra o grupo de louvor e começa a cantar
Vou seguir os passos de JESUS ....

Material necessário para a peça.
3 roupas de soldados de guerra.
1 Bíblia
4 tapa-olhos
2 pistola ou revólveres e 1 – 12.
Sonoplastia de Bala
Pintar os rostos do soldado de preto e pintar o Pastor como se fossem ferimentos.


Autor Desconhecido

Postado em 06 de outubro de 2011


A NOITE DA VERDADE

(PARA O DIA DOS PAIS)
PEÇA EM UM ATO

Personagens: Paulo, o pai.
Etel, a mãe.
Marcos, o filho.


Cenário – Uma sala de residência

Indumentárias – Comuns, da época atual.

Acessórios – Uma Bíblia, óculos, algodão e mercúrio para curativos.

Obs.: No inicio da peça, Paulo está em cena sentado, lendo a sua Bíblia e fazendo algumas anotações. Em seguida entra Etel.

Etel – Vou servir almoço daqui a pouco, Paulo.

Paulo – Está bem, estou quase terminando este esboço

Etel – Você irá pregar amanhã à noite?

Paulo – Não, pela manhã no programa especial para o dia dos pais.

Obs.: Etel parece entristerce-se, e anda de um lado pra o outro, Paulo percebe seu nervosismo, levanta-se, em boca de cena, passa o braço ao redor do ombro da esposa.

Paulo – E então Etel, o que há?

Etel – Penso o quanto deve ser difícil pra você falar aos pais de nossa igreja, tendo um filho tão... problemático.

Paulo – Você tem razão, só mesmo pela infinita misericórdia de Deus.

Etel – Marcos me preocupa, saindo com aquela turma onde não há um só rapaz ajuizado.

Obs.: Entra Marcos, o filho.

Marcos – Aposto que estão falando a meu respeito.

Paulo – Você sabe que temos razões de sobra pra ficarmos preocupados com você.

Marcos – Rindo- ora meu pai, é que hoje em dia já não fazemos programas tão ingênuos quanto os de sua época.

Paulo – E o que fazem então? Fumar, beber, depredar tudo como verdadeiro vândalos? Diga-me Marcos, o que fez de seus estudos?

Marcos – Mamãe ainda não lhe disse? Tranquei a matricula.

Paulo – E por que?

Marcos – Sem jeito – por que...sei lá, acho que ainda não estou bem certo se a medicina é mesmo uma boa carreira.

Paulo – E o que vai fazer da sua vida?

Marcos – Aproveita-la meu pai, da melhor maneira possível.

Etel – Bem, eu vou cuidar do jantar (sai)

Marcos – Eu já estou de saída. O pessoal está à minha espera.

Paulo – Você irá à Igreja amanhã, Marcos?

Obs.: Marcos, repimindo o riso.

Marcos – Igreja! Bem...poder ser, se eu não estivesse com muito sono.

Paulo – Cuidado, filho. Os caminhos que a juventude escolhe, nem sempre são os melhores.

Marcos – Revoltado: cuidado, cuidado! O senhor pensa que ainda sou um menino, pai? Sou um homem! Quer saber mais? Cuide de sua vida pacata de pregador de Igreja, e eu cuido da minha, entendeu? (sai)

Obs.: Paulo sentando-se muito triste.

Paulo – Meu Deus, que situação difícil eu entrego em Tua Mãos Senhor! Que o meu filho possa abrir os olhos para a verdade. Amém. (sai)

Narração - E Marcos foi juntar-se àqueles que considerava seus melhores amigos – os piores rapazes do bairro. Esquecido da família e da existência de Deus, divertia-se à larga sem dar importância a mais nada que não fosse aquela noite, que parecia ser feita para festa e alegria.

Obs. - Marcos entra correndo pela porta que dá para à rua, com o rosto parecendo ferido, gritando!

Marcos - Meu pai! Por favor papai, preciso falar-lhe!

Obs. - Paulo entra pela porta lateral maior, trazendo os óculos e a Bíblia na mão.

Paulo – O que foi Marcos? Mais o que aconteceu com o seu rosto?

Marcos – Tocando o rosto ferido (nervoso) – creio que estou machucado. Puxa pai, foi horrível.

Etel – Entrando – o que houve, filho? (assusta-se)...mas você está ferido!

Marcos – Não se preocupe, mãe. Eu... acho que mereci o que aconteceu.

Paulo – Abraçando o filho – e o que aconteceu, Marcos?

Marcos – O Senhor tinha razão, como sempre o Senhor tinha razão; foi o seguinte: Estava-mos todos bebendo no bar e, de repente começou uma discussão boba. Lucio então resolveu sair quebrando tudo, copos, garrafas... como um louco. Creio que na confusão feriu gravemente o dono do bar. Alguém chamou a policia e...

Paulo – E você conseguiu escapar, não foi?

Marcos – Mas eu não tive culpa de nada!

Etel – E como provar agora que não teve culpa?

Marcos – Todos viram que foi o Lucio quem começou tudo...

Paulo – Mas você estava junto e poderá ser incriminado também, não acha?

Marcos – Meio amedrontado – não poderá fazer nada contra mim.

Etel – Eu vou buscar algo para fazer um curativo. (sai)

Paulo – Meu filho, um homem é reconhecido pelo o que faz e pelas companhias com quem anda. Diante da lei você terá de provar que está inocente e eu não poderei fazer nada.

Obs. – Marcos andando nervosamente de um lado para o outro, como ocuado.

Marcos – Mas você é um homem muito respeitado. É um médico, pai!

Paulo – Ainda esta noite você não considerava tão importante ser um médico...

Marcos – Eu estava errado, pai. O Senhor me perdoa?

Paulo – É claro Marcos. Mais ainda assim terá que prestar contas com a justiça, se andou agindo errado.

Marcos – Estive errado andando em companhia deles. Agora sei quem realmente são.

Paulo – Acha que os rapazes da igreja, que você considera tão piegas, agiriam assim?

Marcos – Não, sei que não... eu irei a igreja amanhã.

Paulo – Amanhã não teremos culto na igreja. É programa especial.

Obs. – Etel entra com o material de curativos...

Etel – Amanhã é dia dos pais Marcos.

Marcos – Dia dos pais? Puxa, eu tinha esquecido!

Paulo – Não importa, você já deu o presente: a sua decisão de mudar de vida.

Etel – Limpando o rosto do filho: lembra-se de quando foi diretor de sociabilidade em nossa igreja, filho? Nunca esteve tão feliz naquela época.

Marcos – Fazendo uma careta de dor: cuidado mãe está doendo. Você acha que a mocidade me elegeria outra vez?

Etel – Sei que ficarão alegres com a sua volta.

Marcos – Nova careta: mãe devagar, está doendo.

Paulo – Rindo: não reclame, Marcos. Você já não é mais um menino, é um homem. Lembre-se!

Marcos – Depois de submeter-se ao curativo, abraça o pai: tem razão pai, sou um homem.

(cena em estático: pai e filhos abraçados, e Etel rindo, ao lado, olhando o curativo no rosto de Marcos)



Narração – E no domingo, na festa do dia dos pais, Paulo falou animadamente do imenso amor de Deus e que quanto Ele ouve as orações de todos os pais que entregam em sua Santas mãos.


Autor Desconhecido



Postado em 06 de outubro de 2011

O DESAFIO

(Peça para o Dia Nacional de Missões)


Voz oculta: “Levantai os vossos olhos e vede os campos, por que já estão brancos para a ceifa.”

Pregador: Senhor eu quero pregar a tua palavra; Senhor mostra-me alguém, mostra-me alguém.

Obs.: Entra uma pessoa em desespero.

Pessoa desesperada: Ah meu Deus” Meu Deus, eu não agüento mais esta vida vazia. Por favor, meu Deus, mostra-me o caminho, ajuda-me.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Oh, não Senhor!este não. Ele pode estar bêbado ou drogado ou ser um louco, sei lá; mas Senhor este comportamento não é normal, ele não, ele não Senhor.

Obs.: O pregador começa a pedir a Deus pra mandar outra pessoa, para pregar o evangelho.

Pregador: Senhor eu quero pregar a tua palavra, mande alguém para que eu possa pregar a tua palavra.

Obs.: Entra um rico bem vestido, com paletó, pasta, e falando num aparelho celular.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Senhor eu não posso pregar para este homem, ele é rico e eu sou pobre. Como ele vai querer me escutar? Vai me desprezar.

Obs.: Pregador começa a pedir a Deus para mandar outra pessoa.

Pregador: Senhor, eu estou ansioso para pregar a tua palavra mostra-me alguém.

Obs.: Entra algumas religiosas, falam entre si espantadas.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Senhor, elas são tão religiosas, não vão me dar ouvidos, não vão querer ouvir o teu evangelho.

Obs.: Pregador começa a pedir a Deus para mandar outra pessoa.

Pregador: Deus, oh meu Senhor, eu quero pregar a tua palavra, envia uma pessoa que precise ouvir a tua palavra.

Obs.: Entra em cena um mendigo, senta-se e começa a pedir esmola.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Senhor, ele é um mendigo e só quer um dinheirinho e não vai querer escutar a tua palavra. O que tenho ele não vai querer.

Obs.: O pregador começa de novo pedir a Deus para pregar para alguém.

Pregador: Senhor que quero pregar a tua palavra.

Obs.: Entra uma médica.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Esta não Senhor; ela fez faculdade. É médica, intelectual, estudada, por certo não vai querer me ouvir.

Obs.: O pregador mais uma vez fala para Deus mostrar alguém.

Pregador: Senhor, eu quero pregar a tua palavra.

Obs.: Entra alguns universitários.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Não” eles não Senhor. Eles são universitários, estudados e já planejaram sua vida. Não vão querer ouvir de mim a tua palavra são muito inteligentes. Não vou, não vou Senhor!

Obs.: O pregador pede de novo à Deus para mostrar a ele alguém.

Pregador: Senhor,mostra-me alguém para eu poder pregar a tua palavra.

Obs.: Entra um homem do campo.

Pregador: este homem, eu não vou mesmo. Um homem leigo, não sabe falar e nem se expressar. Como vai entender a tua palavra? Não Senhor, eu não vou perder meu tempo com ele, ele é um homem do campo, só entende de terra, não Senhor mande outro, mas eu quero pregar a tua palavra, o teu evangelho.

Voz oculta: Meu servo por que não pregaste a minha palavra? Muitas almas aflitas, desesperadas vieram querendo ouvir uma palavra e tu não pregaste. Mas meu servo como ouvirão se não há quem pregue?

Obs.: O pregador cai de joelhos e diz:

Pregador: Senhor tenha misericórdia de mim, perdoa-me Senhor. E a partir de agora, irei sair pregando a tua palavra a quem quer que seja; libertando os oprimidos e livrando os que estão destinados à morte. Ajuda-me Senhor nesta árdua tarefa.

Obs.: O pregador prega para todas as pessoas da peça. As pessoas se convertem. A pregação deverá ser feita em cima do versículo do livro de Marcos 16.15.

Pregador: Estou aqui para cumprir o ide de Jesus, que é levar este evangelho que tem o poder para salvar o pobre, o rico, o branco, o preto, independente de classe social, cultura ou formação intelectual. Pois para nós, homens, falhos enxergamos o exterior de cada pessoa, mas Deus conhece a necessidade do coração. E hoje ele quer suprir a tua necessidade. (Convite)

• Médica: Jesus quer salvar você, tu podes saber de todos os remédios que cuida do corpo, mas da alma só quem tem a cura é Jesus. É Ele quem transforma a lama angustiada em um alma saudável, venha hoje fazer esta transformação.

• Rico: O homem pode ter todo o dinheiro do mundo, comprar casas, carros, fazendas, iates, etc. porém, há uma coisa que o homem não poder comprar, que é a salvação, pois esta Jesus já comprou com o ser sangue, pra você.

• Religiosas: Oh, Deu! Eu creio que nesta noite, existem pessoas que acreditam que a salvação está na religião, nos costumes e tradições, porém permita-me Senhor dizer a estas pessoas, que tudo isso é vão, que a salvação está em Cristo Jesus.

• Mendigo: Olha, eu te digo, não tenho nem prata, nem ouro, mas o que tenho isto eu te dou, a chance de mudar a sua visa aceitando a Jesus Cristo como seu salvador.

• Universitários: Vocês aí, sim, vocês mesmo. Podem achar que sabem de tudo, podem ser cultos, saber de várias ciências, ser instruídos. Mas inteligente mesmo é aquele que tem Cristo na vida. Venha! Use sua inteligência para Deus.

• Desesperado: Você que chora amargamente, que o vazio de sua alma parece não ter fim. E a angustia é sua constante companheira, você veio ao lugar certo, pois Jesus está aqui para te libertar, pra aliviar sua angustia, venha aceitar a Jesus, venha tomar esta importante decisão.

• Homem do campo: Não ter uma formação intelectual, não ter tido a chance de aprender a ler e escrever; não te deixar diferente dos demais, para Deus você é muito importante. Venha fazer parte da família de Jesus.

Obs.: Alguns ficam de joelhos (homem do campo, desesperado, médica, religiosas).

Pregador: Eu vou orar por vocês e creiam que Deus dará a libertação de vossas almas, por que Ele libertou e continua libertando. Liberta viciado em drogas, pessoas oprimidas pelo diabo. É só crê. Vou orar, peçam perdão de vossos pecados a Deus.

Voz oculta: “Livra os que estão destinados à morte. E salva os que são levados para a matança. Se os puderes retirar ( Pv. 24.11)

Obs.: Todos levantam a Bíblia e diz:

“Levantai os vossos olhos e vede os campos, por que já estão brancos para a ceifa”.

Obs.: Todos cantam o hino brado de missões.


Autoria - Mariano Siqueira



Postado em 06 de outubro de 2011

O 4º HOMEM DA FORNALHA

DANIEl. cap 3 .v 1-30


Narrador: E aconteceu que o rei Nabucodonozor, fez uma estátua de ouro, e levantou-a no campo de Dura, na Província de Babilônia. E o rei mandou reunir os prefeitos, os presidentes, os juízos, os tesoureiros, os conselheiros, os oficiais, e todos os governadores das províncias, para que viessem à consagração da estátua. Todos estavam em pé diante da estátua. E o rei ordenou que os arautos, apregoassem em todo o reino, o seguinte edital.

Arauto: Ordena-s a vós, ó povos, nações e gente de todas as línguas, que quando ouvirdes o som da buzina, do pífaro, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonozor tem levantado. E qualquer que se não prostrar e não adorar, será lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Narrador: Portanto, no mesmo instante em que todos os povos ouviram o som da música, prostraram-se e adoraram a estátua de ouro... Ora, alguns homens caldeus, vendo que os judeus não obedeciam ao decreto, chegaram-se ao rei e os acusaram, dizendo:

Rei: Que quereis na sala do trono?

Caldeu 1: Ó rei, vive eternamente. Tu, ó rei fizeste um decreto pelo qual todo homem que ouvisse o som de toda sorte de música, se prostraria e adoraria a estátua de ouro, e qualquer que se não prostrar-se e adorasse seria lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Rei: Sim, mandei apregoar este decreto por todo o reino.

Caldeus 2: Há uns homens judeus, ó rei, que tu constituísse sobre os negócios da província da Babilônia, Sadraque, Mesaque e Abedenego, que não obedeceram eo teu decreto.

Rei: Como assim?

Caldeus 2: A teus não servem, nem a estátua de ouro que levantaste adoram.

Observação: E o rei Nabucodonozor ficou irado e mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abedenego.

Rei: Pois que tais homens sejam trazidos a minha presença.

Observação: E trazem os homens perante o rei.

Os três: Ó rei, vive eternamente.

Rei: É de propósito, ó Sadraque, mesaque e Abedenego, que vós não servis aos meus deuses, nem adorarias a estátua de ouro que levantei? Agora, pois, estais prontos, quando ouvirdes o som da música, para vos prostrardes e adorardes, a estátua que fiz, bom é, mas se não a adorardes, sereis lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas bênçãos.

Sadraque: Não necessitamos de te responder sobre este negócio.

Mesaque: Eis que o nosso deus, a quem servimos é que nos pode livrar. Ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e da tua mão, ó rei.

Abede-nego: E se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.

Rei: O que? Pois que ousai desafiar-me deste modo, morrereis então na fornalha de fogo ardente. Que o fogo seja aquecido sete vezes mais do que se costuma aquecer. E os homens mais fortes do meu exército, amarrem estes homens e os atirem imediatamente dentro da fornalha ardente. Cumpra-se a minha ordem.

Observação: Depois de lançar os três jovens, os soldados caem no chão, por causa da temperatura do fogo. O rei curioso levanta para olhar, se espanta e fala aos capitães.

Rei: Não lançamos nós, três homens atados dentro do fogo?

Capitães: É verdade, ó rei.

Rei: Eu porém vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo. Estais vendo também?

Capitães: É verdade é rei.

Rei: Eles não se queimam, e o aspecto do aspecto do quarto é semelhante ao Filho dos Deuses...nunca vi coisa igual! Sadraque, Mesaque e Abede-nego, servos do Deus Altíssimo, sai e vinde.

Capitães: Oh!

Observação: Juntam-se ao sátrapas, os prefeitos, os presidentes e os capitães do rei. Ficam a observar os três jovens, seus corpos, cabelos, suas capas e não encontraram nada queimado, nem cheiro de fogo. Ficam temerosos e assustados olhando para os jovens e comentando sobre tal maravilha.

Narrador: E ajuntaram-se os sátrapas, os prefeitos, os presidentes e os capitães do rei, contemplando estes homens e viram que o fogo não tinha tido poder algum sobre os seus corpos, nem um só cabelo da sua cabeça se tinha queimado, nem as suas capas se mudaram, nem cheiro de fogo tinha passado sobre eles. Então, cheio do mais profundo temor, diante de tão grande maravilha o rei, Nabucodonozor.

Rei: Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-nego, que enviou o seu Anjo e livrou os seus servos que confiaram nEle, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar seus corpos, para que não servissem e nem adorassem algum outro deus, se não o seu Deus... por mim, pois, é feito um decreto, pelo qual todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abedenego, seja despedaçado e as suas casas sejam feitas um monturo; porquanto não há outro Deus que possa livrar como este.

Narrador: As maravilhas de Deus, as manifestações de Deus, foram muitas e grandiosas ao tempo do rei Nabucodonozor. E Deus lhe concedeu muitas bênçãos e riquezas; Contudo, a fidelidade que os servos de Deus, Daniel, Ananias, Misael e Asarias mantiveram para com Deus, nem Nabucodonozor nem seus vassalos souberam cultivar. Como no mundo de hoje, os homens deixam de ser fiéis a Deus, correndo após outros deuses. Assim o fizeram Nabucodonozor e seus vassalos.


Adaptação – Mariano Siqueira


Postado em 06 de outubro de 2011

UM JOVEM GANHADOR DE ALMAS

(10 participantes)

Entram todos cantando o hino da H.C 224


Todos – Mocidade destemida, esteja alerta para a chamada do Senhor.

1 e 2 – Quem irá após mim?
3 e 4 – Quem levará a minha mensagem?
5 e 6 – Quem está disposto a renunciar o mundo?
7 e 8 – Quem poderá abandonar o seu eu, em prol da minha causa?
9 e 10 – Quem está disposto a entregar-se totalmente em minhas mãos?

Todos – Os dias estão findos, a ceifa está chegando, e Deus tem um magnífico plano a ser executado com você neste mundo.

1 a 5 – Saia, sem perda de tempo, e cumpra a ordem de Jesus, que diz: - “Ide por todo mundo, e pregai o evangelho a toda criatura, quem crer e foi batizado será salvo, porem quem não crer será condenado.

6 a 10 – Saia por valados, vilas e cidades, em busca das milhares de almas que estão a perecer, e tem sua via aprisionada pelo adversário de nossas almas.

Todos – Vamos despertar enquanto é dia, porque a noite vem quando não se pode mais trabalhar, e nós jovens, precisamos ganhar tempo, pois Deus precisa:

1 – De jovens cheios do Espírito Santo
2 – De jovens consagrados à sua obra
3 – De jovens obedientes
4 – De jovens limpos de coração
5 – De jovens com vidas santificadas
6 – De jovens que buscam o Dom da palavra
7 – De jovens que tenham visões celestiais.
8 – De jovens que já tenham abandonado as coisas mundanas
9 – De jovens destemidos e encorajados para levar esta mensagem
10 - De jovens cheios do poder de Deus.

Todos – Se quisermos ser instrumentos afinados nas mãos do Todo-Poderoso, deixemos que Ele dirija a nossa vida, e não olhemos nem para um lado nem para o outro. Se fizermos assim:

1 e 5 – Seremos mais que vencedores.
6 e 10 – E vitoriosos em tudo.
Todos – Deus está conosco...com vocês...e precisa de jovens que:

1 - Não temam o mal
2 - Não temam o maligno
3 - Não temam as lutas.
4 – Não temam os perigos
5 – Não temam as tempestades
6 – Não temam as ciladas
7 – Não temam as barreiras
8 – Não temam os vitupérios
9 – Não temam as dificuldades
10 – Não temam as potestades, porque venceremos pelo sangue de Jesus.

Todos – E nós, a mocidade do Senhor, fomos escolhidos por Ele, para trabalharmos em sua seara, mas é preciso:

1 – Venceremos o mundo com suas vaidades
2 – Não olharmos mais as coisas passadas
3 – Fazermos tudo com alegria, em prol da grande obra.
4 – Levarmos esta mensagem, a tempo e fora de tempo
5 – Obedecermos fielmente a Deus, observando a sã doutrina
6 – Deixarmos que Deus nos use como ele quiser
7 – Que nos entregue totalmente em suas mãos
8 – Deixarmos que Ele nos molde como achar melhor.
9 – Sermos colunas e sustentáculos dos mais frágeis.
10 – Vivermos totalmente na dependência do Espírito Santo.

Todos – E todos poderão ser vasos nas mãos do Senhor, e serem usados, porque a Bíblia diz:

1 à 5 – Derramarei do meu Espírito sobre toda carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos mancebos terão visões.

6 à 10 – Vinde após mim, e Eu vos farei pescadores de homens.

Todos – O evangelho é poder de Deus. Jovem, tire proveito deste fato, consagrando sua vida inteiramente a Cristo. A palavra da Bíblia, a cada jovem, nesta noite é:

1 à 5 – Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias e venhas a dizer: não tenho neles contentamentos.

6 à 10 – Jovens, meditem nestas coisas, ocupem-se com elas, para que o aproveitamento seja manifesto a todos, por meio de vós.

Todos – Não se omitam na obra de Deus. Comecem hoje a grandiosa tarefa de pregar o Evangelho, e Jesus fará de vocês:
1 e 2 – Obreiros aprovados
3 e 4 – Atalaias nas suas mãos.
5 e 6 – Instrumentos bem afinados.
7 e 8 – Batalhadores do Evangelho
9 e 10 – Grandes ganhadores de almas.

Todos – Preguemos a pessoa de Cristo, de maneira que o pecador veja a luz que brilha em nós, pois:

1 – Com Cristo temos vida permanente
2 – Com Cristo temos paz que não se esgota
3 – Com Cristo temos esperança eternas
4 – Com Cristo temos felicidades que nunca nos será tirada
5 – Com Cristo temos ema glória que não será tirada
6 – Com Cristo temos forças que jamais enfraquecerá
7 – Com Cristo temos sabedoria que jamais se acabará
8 – Com Cristo temos vida nova que nunca envelhecerá
9 – Com Cristo temos riquezas externais
10 – Com Cristo temos um fiel amigo que jamais nos decepcionara.

Todos – Deus procura no meio de apriscos, jovens que possam ser usados, sem reservas e sem limites. Ele nos entrega a chave da palavra, e nos diz nesta noite.

1 a 5 – Eis que diante de ti, pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar.

6 a 10 – Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei e cearei com ele, e ele comigo.

Todos – Nesta noite, Cristo entrega a chave em nossas mãos, e diz: Trabalhem, e começarão a ver os resultados. Sejam corajosos, abram a porta do seu coração, leiam a palavra, orem e recebam a unção do alto, e cada um se tornará, um jovem ganhador de almas.


Autoria – Mariano Siqueira



Postado em 06 de outubro de 2011

NÃO NEGUE O NOME DE JESUS POR NADA

Observação: O pregador vai ficar no meio da igreja e entra o oficial com seus soldados pela lateral.

Narrador: Um certo servo do Senhor, foi procurado pelas autoridades de Cuba, para que eles parasse de pregar o evangelho. E então...

Oficial: Eu, como oficial de cuba não quero esta religião aqui. Ordeno que pare de pregar este evangelho, ou então morrerá!

Missionário: Ó Deus, bem sei que está escrito na tua palavra, que por amor de ti Senhor, somos entregues a morte todos os dias, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas Senhor, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou.

Observação: O missionário levanta da oração e começa a louvar a Deus.

Missionário: Cantando: Estou seguindo a Jesus Cristo, deste caminho eu não desisto, estou seguindo a Jesus Cristo, atrás não volto, não volto mais. Se me deixarem os pais e amigos, se me cercarem muitos perigos, se deixarem os pais e amigos, atrás não volto, não volto mais.

Observação: O missionário junto com a família sai pela lateral da igreja.

Narrador: O missionário continua pregando o evangelho de Jesus Cristo, nas ruas de Cuba e na Igreja. Assim é o servo fiel, não teme coisa alguma, mas tudo faz para cumprir a vontade de Deus. É quando é abordado pelos soldados cubanos, que o martirizam com grande ira e os levam a força à presença das autoridades cubana.

Oficial: Eu já não disse que não aceito este tipo de religião em meu país. Se você não parara vai morrer agora.

Missionário: Ainda que custe a minha vida, não vou parar de pregar o evangelho de Jesus Cristo, por que só através dEle encontraremos a salvação; mas em nada tenho minha vida por preciosa.

Observação: O oficial ouvindo isto fica irado e fala:

Oficial: Se sua vida não lhe é preciosa, eu sei de umas que lhe irá fazer negar a este Jesus que você tanto prega.

Observação: O oficial faz sinal para os soldados entrarem com a esposa.

Oficial: Soldados!

Oficial: Agora negue a Jesus ou então, mato sua esposa, aquela que você escolheu para viver para sempre.
Observação: O missionário fica espantado e calado, enquanto o oficial insiste.

Oficial: Vamos! Negue, estou esperando.

Esposa: Não, não negue a Jesus por nada, mesmo que eu morra.

Observação: O missionário cai de joelho chorando e louvando ao Senhor.

Missionário: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...

Observação: E o oficial manda que mate a esposa.

Oficial: Matem-na!

Observação: Os soldados retiram a esposa da presença do missionário e matam-na (levar a esposa para a lateral da igreja). Em seguida entraram com seu filho.

Oficial: Já que a vida de sua esposa não valia nada, o que me diz de seu filho? Nega ou não nega? Vai preferir que ele morra também?

Observação: E quando o missionário ouviu aquilo, começou a chorar e a clamar.

Missionário: Senhor, não deixem que eles matem o meu filho, não deixe que eu negue o teu nome. Oh Senhor está sendo muito difícil para mim. Eles vão também matar o meu filho, não agüento mais, mim ajude.

Observação: O filho vendo que o pai fazia gestos para negar a Jesus soltou-se das mãos dos soldados e disse:

Filho: Papai, não negue o nome de Jesus, mesmo que eu morra agora, nós um dia nos encontraremos no céu. Não negue o nome de Jesus por nada.

Observação: O oficial irado, manda matar o menino.

Oficial: Matem-no!

Observação: O soldado retira o menino da presença do pai. (Leva-o para a lateral da igreja) e o missionário cai de joelho chorando. Oficial olhando para missionário espera que o mesmo negue a Jesus.

Oficial: Tem algo a dizer?

Missionários: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...

Observação: O oficial irado manda que os soldados matem o missionário.

Oficial: Mate-o!

Narrador: Pensavam os governantes daquele país, que com a morte daquela família de missionário, o evangelho deixaria de ser pregado naquele lugar, porem a semente foi semeada por aquele missionário, brotou e deu origem a outros missionários, continuando assim, a obra do Senhor. E o que devemos fazer para ajudar os nossos missionários é orar e ofertar.
Orem pelos missionários.


História real
Adaptação – Mariano Siqueira

Postado em 06 de outubro de 2011

Seguidores